Siga este Blogue e indique aos seus amigos, eles lhe agradecerão...

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Perguntando & respondendo

Em minha cidade tem uma jovem que recebe um Espírito de uma mulher que pede para ela desenhar, escrever música, poesia e tudo mais, na casa dela, fora da casa espírita. Muitas pessoas estão estimulando e achando bonito o procedimento, inclusive dirigentes de casas espíritas. Isso é correto?
A mediunidade praticada sem a segurança de uma casa espírita idônea e sem a orientação devida é muito perigosa. Os Espíritos que se envolvem com esse tipo de prática são brincalhões, enganadores e muitas vezes fascinadores. Situações como essas são características de processos obsessivos e só estimula quem desconhece completamente as orientações de Allan Kardec em O Livro dos Médiuns, sobre a prática da mediunidade.

Tenho mediunidade e sinto necessidade de trabalhar, portanto trabalho sozinho em casa. Há algum inconveniente nisso?
Os médiuns que trabalham sozinhos são muito mais sujeitos à ação nefasta dos Espíritos enganadores. Não aconselhamos tal procedimento. Ninguém pode trabalhar na mediunidade porque tem necessidade ou porque quer praticar a caridade. Isso é um equívoco. A mediunidade é um dom que Deus dá ao homem para servir à causa do Bem e, dessa forma, crescer em moralidade. A prática da mediunidade sem orientação causa muitos prejuízos a que dela se serve.

Qual a missão do Espírito na Terra?
A missão maior de todo Espírito encarnado na Terra é a de trabalhar para sua evolução espiritual através da busca do conhecimento. Todas as oportunidades que o homem tem na vida, trabalho, profissão, religião etc, são ferramentas que deverão ser utilizadas para esse fim.

Qual a visão do Espiritismo sobre a epilepsia?
A epilepsia é uma doença neurológica, como qualquer outra doença que pode afetar o organismo humano. Deve ser tratada com os especialistas da medicina terrena. A terapêutica espírita poderá ajudar na recuperação do equilíbrio físico do enfermo, se for ministrada adequadamente, sem nunca dispensar a assistência médica. Muitas pessoas confundem as crises epilépticas com sintomas obsessivos ou mediunidade a ser desenvolvida, o que é um grave erro.

A epilepsia é obsessão?
Não. Epilepsia é uma coisa e obsessão é outra. A obsessão pode, às vezes, se apresentar com os sintomas da epilepsia, e o epiléptico pode ser portador de um processo obsessivo. Daí a confusão que muitas vezes é feita entre uma coisa e outra. O conceito que existe no meio espírita de que os epilépticos são médiuns que deveriam desenvolver suas mediunidades é completamente errônea.

Sobre a polêmica dos livros de Roustaing, penso que as Obras da Codificação são a pedra basilar da Doutrina Espírita, portanto imprescindíveis. Mas acho também que a Federação Espírita Brasileira é uma instituição séria e não merece as críticas feitas a ela. Porque não tentar o entendimento?
O fato da Federação Espírita Brasileira ser uma instituição séria não a isenta de ser criticada quando suas ações são contraditórias em relação ao ideal kardequiano. Reconhece-se o valor do trabalho empreendido por ela, mas também sua responsabilidade maior na grande confusão em que se tornou o movimento espírita. Se tivesse seguido as instruções de Allan Kardec desde sua formação, teria desenhado um outro desfecho para o pensamento espírita em nosso país e não esse que se vê por aí, cheio de idolatria, fantasias e vaidades.

A obra de Roustaing é falsa?
Não se trata de dizer se a obra de Roustaing é verdadeira ou falsa. Ela é simplesmente contrária aos princípios espíritas, portando não deve ser estudada e nem divulgada como uma obra espírita. O pensamento extraído desses livros contaminou o movimento espírita, sob o aval da Casa Máter do Espiritismo no Brasil. O resultado é a prática de um “Espiritismo católico” feito à moda do Brasil, bem distante do que prescreveu Allan Kardec em sua Constituição do Espiritismo.

Gostaria de obter informações sobre princípio vital?
O fluido universal é a matéria básica fundamental de todo o Universo material, a matéria elementar primitiva que serve de ponto de partida para a origem dos elementos físicos conhecidos. Este fluido universal preenche todo o espaço existente entre os mundos. Tudo está envolvido por este fluido, podendo-se dizer que o Universo vive imerso nele como peixes num aquário. A matéria é uma das variações do fluido universal e existe em diversos estados na natureza, variando infinitamente da ponderabilidade (solidez) à imponderabilidade (eterização).O fluido vital é a modificação mais importante do fluido universal. Ele é o responsável pela força motriz que movimenta os seres vivos. No capitulo IV de O Livro dos Espíritos, os instrutores explicam que a mesma força (lei de atração) une os elementos orgânicos e os inorgânicos, porém nos orgânicos é animalizada, ou seja, está unida ao fluido vital que lhe dá a vida. Os seres inorgânicos não possuem vitalidade e são formados apenas pela agregação da matéria.

Se o sonho é a libertação do Espírito em momento de descanso do corpo físico, como se explica o fato de se sonhar com pessoas que não estão dormindo naquele momento?
Durante o sono, que é o momento de descanso para o corpo físico, o Espírito desliga-se parcialmente e normalmente é atraído para os locais de sua afinidade. Alguns, porém, não conseguem sair das proximidades de seu corpo em função de sua extrema ligação com a matéria. Com relação aos sonhos, nem sempre são recordações das experiências do Espírito durante o sono. A maioria deles são imagens gravadas no subconsciente relacionadas às atividades do dia-a-dia que afloram durante o sono. São muitas vezes imagens misturadas e sem conexão entre si, razão pela qual alguns sonhos são incompreensíveis. Quando o indivíduo sonha com uma determinada pessoa, nem sempre significa que a encontrou durante o repouso do corpo físico. Uma pequena porcentagem apenas se refere a experiências reais do Espírito durante o sono. Quando ocorre estas experiências, embora não haja a lembrança, as lições que por ventura foram dadas ao Espírito neste momento, ficarão gravadas no seu subconsciente e aflorarão no momento oportuno, quando puder trazer ao Espírito os benefícios necessários.

Se quando estamos na vida terrena não mais lembramos dos erros que cometemos em vidas anteriores, como podemos corrigi-los? Como se explica os conflitos entre seres de uma mesma família que deveriam viver em harmonia?
Em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", no capítulo V, que trata das aflições, Allan Kardec explica a razão e a necessidade que se tem de esquecer o passado. No entanto, este passado não fica totalmente esquecido, pois basta verificar as tendências do Espírito para se ter uma idéia do que ele foi. Os erros voltarão a incomodar o Espírito devedor e, diante do livre-arbítrio e poderá corrigir-se definitivamente. A correção das deficiências passa pelo conhecimento da Lei, no esforço pessoal de cada um para melhorar-se. No capítulo IV, o Codificador trata das questões familiares. As encarnações nos núcleos familiares podem se dar por afinidade ou compromissos de ajustes. Assim pode-se compreender que entre os membros de uma família há os que são mais afinizados e outros que têm dificuldades de relacionamento. Podem também encarnar em um núcleo familiar Espíritos que não tenham afinidade ou débitos. Neste caso eles podem estar ali com o objetivo de ajudar aquele núcleo ou então de serem ajudados pelos que compõem aquele grupo familiar.

Sem comentários:

A Natureza é assim... Deus nos ensina se soubermos estar atentos...

A Natureza é assim... Deus nos ensina se soubermos estar atentos...
"Espíritas! Amai-vos, eis o primeiro mandamento; Instruí-vos, eis o segundo."

Vale a pena

Loading...

Se o amor se vai

Loading...