Siga este Blogue e indique aos seus amigos, eles lhe agradecerão...

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Suicidio - Conhecer para prevenir

Cubas e os suicidas: uma lição de vôo
Luciano Olavo da Silva
Quando me ocorre de ter que enterrar alguma quimera (não a ultima, que ainda guardo muitas), busco auto-socorro na sabedoria do velho Cubas: “(...) antes cair das nuvens, que de um terceiro andar”.

Desde que tomei ciência da máxima, ainda adolescente, ela nunca me saiu da cabeça, e, sem escolha, a levo pela vida, utilizando-a como uma espécie de energético diante de alguma situação desanimadora.

Em que pese eu ter desenvolvido tanta empatia pelo aludido adágio, ele, como todos os outros, não encerra uma verdade absoluta, mas apenas um mero ponto de vista (majoritário, creio eu). Seguramente, há quem o descarte.

O que dizer desses suicidas que saltam das janelas, dos telhados e das pontes? Eles não suportam cair das nuvens apenas, e, diante de tal hipótese, optam pela concretude de uma queda real, no sentido mais denotativo e doído que a expressão pode ter.

Que mistério está na gênese desses comportamentos tão radicalmente diferentes? A ingratidão da pessoa amada, por exemplo, leva alguns a efêmeras lamentações, mas, diante da irreversibilidade das situações e das dores, seguem em frente; outros, vejam só, preferem despencar dos telhados e janelas, e, para os que têm fé cristã, é possível considerar que preferem cair do céu diretinho para o inferno, haja vista que, segundo professam os religiosos, não há lugar nas alturas para os suicidas.

Penso que, se alguma vez estivemos nas nuvens, é porque somos todos alados. A diferença está apenas no uso que se faz do acessório: uns, a exemplo do finado Cubas, sabem que as asas que elevam às alturas, caso seja necessário, podem prover uma confortável aterrissagem; outros, por alguma razão, desconhecem as regras aeronáuticas e, infelizmente, não realizam os procedimentos de pouso tão necessários quando os ventos da vida dissipam nossas nuvens. A esses não resta nenhuma alternativa, apenas caem violentamente. Isso não é escolha, é falta de recursos técnicos!

Sim, temos todos os poderes de vôo (para cima e para baixo)! Por que, então, alguns não desenvolvem a suficiente sabedoria para utilizá-los em sua plenitude?

Enquanto não se descobre a resposta, o importante é uma alternativa para evitar as quedas: Impedi-los de voar? Cruzes! Quem suportaria viver assim?

Vamos seguir a receita do poetinha gaúcho, vamos mantê-los voando quando só lhes restar a queda:

“Somos todos anjos de uma asa só, precisamos nos abraçar para alçar vôo.” (Mário Quintana)

Luciano Olavo da Silva é formado em Direito e funcionário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Porto Velho - Rondônia. Tem feito algumas incursões na literatura e na produção de eventos culturais.

http://www.abelsidney.pro.br/prevenir/texto25.html

Sem comentários:

A Natureza é assim... Deus nos ensina se soubermos estar atentos...

A Natureza é assim... Deus nos ensina se soubermos estar atentos...
"Espíritas! Amai-vos, eis o primeiro mandamento; Instruí-vos, eis o segundo."

Vale a pena

Loading...

Se o amor se vai

Loading...